Todos sabemos que a massagem é um dos procedimentos mais antigos e utilizados na história da humanidade para manutenção da saúde e bem-estar.

Através da aplicação dos movimentos e pressões exercidas sobre nossas peles, conseguimos melhorar a circulação sanguínea, reduzir o estresse, aliviar as dores e relaxar, mitigando os efeitos da depressão e da ansiedade.

O uso da massagem como alternativa complementar para os casos de diabetes tem aumentado muito nos últimos anos, uma vez que diversos estudos e pesquisas têm demonstrado que há uma notória preocupação com o bem-estar geral de pacientes com diabetes.

No paciente acometido pela Diabetes, seu nível de açúcar (glicemia) é muito alto, devido a uma desregulação da secreção de insulina, hormônio secretado pelo pâncreas e responsável pela entrada de açúcar nas células, tornando os níveis daquela em equilíbrio no sangue.

Uma das funções da massagem é justamente atuar em pontos específicos do corpo para aumentar a absorção de insulina, promovendo um efeito positivo nos níveis de glicose no sangue.

Já para os pacientes com diabetes do Tipo II, a massagem ajuda na intensificação da circulação sanguínea para as extremidades do corpo, estimulando o peristaltismo, aliviando as dores e melhorando a resposta ao relaxamento.

Os benefícios da massagem terapêutica são incríveis, alcançando até mesmo o sistema linfático, permitindo a eliminação de toxinas do corpo e redução dos níveis de açúcar do sangue.

massagem-terapeutica-diabetes

A massagem, por suas propriedades e efeitos relaxantes, também ajuda a aliviar as dores provenientes do endurecimento das artérias.

Quando há uma melhora e ativação da circulação sanguínea, mais nutrientes e oxigênio são disponibilizados para nossas células, e essa melhor nutrição é extremamente benéfica para captação de insulina.

Apesar dos benefícios da massagem, alguns cuidados são extremamente necessários antes de se aplicar qualquer tipo de massagem a pacientes diabéticos.

Devemos evitar a aplicação da massagem em áreas com pouca sensibilidade e afetada pelas consequências da diabetes.

Avalie, antes de iniciar a sessão de massagem, se o paciente realmente está se bem disposto ao procedimento. Veja se não há nenhum sinal de machucados, feridas ou hematomas. Caso positivo, não é recomendado o início da terapia nestes locais afetados.

Regiões também com hipersensibilidade devem ser evitadas. E naqueles pacientes que apresentam também problemas cardiovasculares não devemos iniciar nenhuma massagem mais rigorosa, como a de tecidos profundos ou qualquer outro procedimento muito intenso ou demorado.

Outra recomendação importante é que se evite que a massagem seja realizada em ambientes demasiadamente aquecidos. Pacientes diabéticos, geralmente, possuem dificuldades em determinar com precisão se a pressão ao toque ou a temperatura estão adequados, sendo assim o bom senso é mais do que necessário.

Além da massagem, os portadores de diabetes também devem ser orientados a alterar seus estilos de vida, com a prática regular de atividade física e boa alimentação, que aliadas às massagens irão lhes proporcionar uma qualidade de vida muito melhor.

Por exemplo, uma dieta rica em proteínas magras, com muitos grãos e frutas frescas podem trazer quedas significativas dos níveis de açúcar no sangue. Já os exercícios físicos aeróbicos ajudam na redução da hiperglicemia e os anaeróbicos, como a musculação, ajudam no aumento da massa magra corporal e redução da gordura, reduzindo os níveis de glicose.

Porém, antes de iniciar qualquer atividade física e um sessão terapêutica com massagem, é aconselhado consulta médica qualificada, que saberá dosar e identificar as atividades adequadas para cada caso ou especificidade em portadores de diabetes.

Uma pessoa com diabetes controlada pode realizar atividades físicas e massagens orientadas, lembrando que os níveis de glicose devem estar regulados e de acordo com os indicados pelo médico especialista.

Outros benefícios importantíssimos também podem ser rapidamente obtidos com a massagem, tais como aumento da flexibilidade e da mobilidade do paciente. A diabetes amplia o espessamento dos músculos e dos tecidos conectivos, e com a massagem orientada esses sintomas são aliviados e melhor administrados.

Assim, como também o paciente irá de imediato sentir um oportuno relaxamento dos músculos, normalmente enrijecidos pela diabetes. Seus tendões, ligamentos e articulações também afetados pela condição clínica são positivamente atingidos pela massagem, que permite uma maior amplitude dos movimentos e mobilidade ao paciente.

Finalmente, o relaxamento. Conviver com a diabetes é extremamente desgastante e estressante. E o estresse é um inimigo para aqueles que precisam manter o equilíbrio dos níveis glicêmicos no organismo.

Com a massagem, o portador de diabetes consegue relaxar, descansar e se acalmar. Todas essas consequências de relaxamento têm um efeito incrível na química do corpo, com a redução de hormônios do estresse (cortisol), interferindo de modo extremamente benéfico nos níveis de açúcar sanguíneo.

Além disso, a própria reflexologia podal também pode trazer uma série de benefícios para os diabéticos. Pois, como sabemos, o toque em alguns pontos específicos dos pés estimulam o funcionamento de órgãos, como o próprio pâncreas, ajudando a regulação dos níveis de açúcar no sangue.

Outro benefício inerente às massagens é que esta intensifica a produção de endorfina, o hormônio do bem-estar, aumentando o limiar de dor do diabético, tornando o tratamento menos traumatizante e mais humano.

Em decorrência de possíveis mudanças nos níveis de açúcar no sangue de diabéticos, durante a sessão de massagem terapêutica, é indicado que o massagista seja informado da condição médica do paciente. Torna-se importante a descrição detalhada ao profissional sobre os sinais e sintomas vividos quando os níveis de açúcar ficam baixos.

Isto porque os sinais e sintomas da hipoglicemia podem variar muito de um paciente para outro. Alguns apresentam quadro de sudoreses excessivas, outros, dores de cabeça, letargia, irritabilidade, mudanças de comportamento e alterações do batimento cardíaco.

Diga ao seu massagista ou terapeuta como você se sente durante toda a sessão de massagem. Seja honesto e dê o seu feedback da forma mais verdadeira possível. Além de benéfico para o tratamento, é uma excelente oportunidade de que ambos se conheçam melhor, obtendo-se os melhores resultados possíveis com a massagem.

Suas necessidades devem ser conhecidas pelo massagista, desta forma você deixará a massagem muito mais relaxante e confortável também. Não há problema nenhum em interromper uma ou duas vezes o procedimento para beber um pouco de líquido, se você precisar.

Informe ao massagista também sobre o tempo desejado para massagem. Às vezes, um tempo muito extenso de terapia pode comprometer e prejudicar sua saúde, colocando o paciente diabético em risco de manifestar uma hipoglicemia, o que irá anular todos os efeitos relaxantes e terapêuticos benéficos da massagem.

Gostou? Então Compartilhe!

Um comentário em “Os Benefícios da Massagem para Portadores de Diabetes”

  • Tenho diabetes do tipo II e posso afirmar, categoricamente, que a massagem alivia e muito os sintomas da doença. Só pelo fato de já reduzir a ansiedade e o estresse provocados pela doença, já seria uma benção, mas os benefícios vão muito além.
    Me sinto muito menos cansado e mais disposto quando faço massagens. Já estou na quinta sessão da terapia e cada vez sinto as diferenças e melhoras no meu estado geral. Uma outra medida que estou tomando e que também tem me ajudado muito é procurar meios alternativos de aliviar o estresse, além da massagem. Pode ser uma caminhada no parque, me divertir mais e me manter mais calmo. Fugir do estresse e das tensões do dia-a-dia ajudam muito para quem tem diabetes.

  • Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *